Português Italian English Spanish

Setenta anos de História da Fábrica da Arno na Mooca

Setenta anos de História da Fábrica da Arno na Mooca


A Arno, uma das grandes industrias do Brasil, iniciou seus trabalhos na  Mooca, na mesma avenida que leva seu nome, e gerou cerca de 2 mil empregos diretos e indiretos. Mas, após 70 anos ela fechou suas portas para abrir uma nova Fábrica no Rio de Janeiro.

Vamos conhecer a história da Arno :

Em 1882, Carlo Arnstein, primeiramente, cria uma empresa que importava café principalmente do Brasil. Carlo Arnstein era de uma família italiana de Trieste, na época, território do antigo Império Austro-Húngaro.

Em 1938, depois da Primeira Guerra Mundial, Hans Arnstein, filho de Carlo Arnstein, que depois fora rebatizado de João Arnstein, cria a Construções Eletromecânicas Brasileiras Ltda. Materiais Elétricos, empresa especializada na fabricação e comercialização de motores elétricos. Além de ter um novo nome de batismo, João Arnstein se naturaliza brasileiro entre 1922 e 1923.

 

Felippe Arno, o filho de João, foi presidente da empresa de 1957 até 1997. A empresa participou do começo do processo de industrialização no Brasil, tendo a Mooca como a porta de entrada.

Em 1944, a então Construções Eletromecânicas Brasileiras se funde com a Intermares, Brasselva e Siltex, formando a Empresas Reunidas e Comércio Arno S.A.

Em 1945, a Arno é criada, com dez mil cruzeiros. O nome da empresa é devido ao fato de Carlo Arnstein escrever o nome Arno nas sacadas de café que ele comercializava.

Em 1949, o design dos produtos era feito pela empresa americana Sears, Roebuck & Co. Nesse ano, a Arno já comercializava seus produtos em todo o país.

Em 1952, as ações da empresa passam a ser cotadas na antiga Bolsa de Valores do Brasil. Nesse ano, Hans Arnstein passa a se chamar João Arnstein Arno.

Em 1957, João Arnstein Arno morre, e seu filho, Felippe Arno, se torna presidente da empresa.

Em 1961, a empresa exportava liquidificadores para a Europa.

Em 1964, a Arno se associa a empresa Asea Industrial S/A, para aumentar e melhorar a produção dos produtos.

Em 1965, a empresa começa a exportar liquidificadores para outros países da América Latina.

Em 1971, a empresa é associada da Delco Remy, e da Delco Eletronics, comercializando produtos automobilísticos.

Em 1975, a Arno adquire a Skil no Brasil, uma empresa que fabricava furadeiras elétricas e outros produtos. Assim, a Arno foi a primeira empresa a fabricar furadeiras elétricas no Brasil. Atualmente a Skil pertence ao grupo Bosch.

Em 1992, a empresa deixa de fabricar peças automobilísticas.

Em 1994, a empresa consegue o certificado de qualidade ISO 9001.

Em 1997, a Arno S. A foi adquirida pelo Groupe SEB, um conglomerado francês fabricante de eletroportáteis, sendo líder desse segmento.

No final de 2017, depois de 70 anos no bairro, a empresa sai da Mooca e vai para Itatiaia no sul fluminense alegando problemas operacionais e de logística.