Português Italian English Spanish

Nutricionista Funcional Dra. Gisela Savioli

Nutricionista Funcional Dra. Gisela Savioli


Nutricionista Funcional Dra. Gisela Savioli

Marcelle Fernandes

Que ter uma boa alimentação é importante todos nós abemos, mas saber o que realmente é bom ou ruim para o nosso organismo, nem de longe passamos perto. Por isso, a importância em realizar uma consulta com uma especialista em Nutrição Funcional é essencial. E, pensando nas dúvidas sobre como ficarmos mais saudáveis através da alimentação fomos entrevistar a Nutricionista Funcional Dra. Gisela Savioli, que foi a Nutricionista do Papa Bento XVI quando ele esteve aqui no Brasil em maio de 2007, que além de comentar sobre esta experiência única, explica a diferença entre Nutricionista Clássica e Funcional, quais são os alimentos que nunca devemos consumir e os que estão liberados e ainda fala sobre seu “Programa Mais Saúde” na Rádio América(AM 1410) todas às terças, quartas e sextas-feiras, das 16h00 às 17h00 – AO VIVO.

Confira:

 

Jornal da Mooca - Qual a diferença entre a Nutricionista Clássica e a Funcional?

Dra. Gisela Savioli - Para começar, uma nutricionista funcional jamais vai focar o cardápio de seu paciente em calorias, como tradicionalmente é feito. A Nutrição Funcional visa antes de mais nada o restabelecimento integral do paciente e para nós a qualidade do alimento é mais importante do que a quantidade. É comum o paciente procurar para emagrecer e eu digo: - Vamos ver todos os sintomas e problemas da sua saúde hoje e quando reequilibrarmos seu organismo uma das “conseqüências” será seu emagrecimento. Hoje a ciência nos mostra que obesidade é uma doença inflamatória e se não desinflamamos esse paciente, ele não conseguirá emagrecer.

A Nutrição Funcional tem 5 princípios básicos:

1. a individualidade bioquímica do paciente (da um é um! O que é remédio para um, pode ser veneno para o outro...)

2. tratamento centrado no paciente

3. equilíbrio nutricional

4. biodisponibilidade dos nutrientes (a sinergia entre os minerais e vitaminas que precisam estar em quantidades adequadas, nem muito de um, nem pouco do outro, para conseguirmos equilibro e restabelecimento do paciente)

5. a saúde completa significa:

5.1. desequilíbrios nutricionais, estruturais e hormonais

5.2. estresse oxidativo (respirar é oxidar – daí vem a palavra – lembre-se: respirou, introduziu oxigênio no seu organismo = oxidou. Precisamos estar com nossas reservas de anti-oxidantes em dia para combater isso)

5.3. ecologia gastrintestinal – pelo menos 1 kg de nosso peso são de nossas bactérias intestinais. Precisamos de um equilíbrio entre elas (tem as boas e as más) para uma perfeita saúde.

5.4. detoxificação do organismo (estamos lotados de toxinas: nosso ar, metais pesados nos alimento como peixe, agrotóxico, excesso de produtos químicos para limpeza da casa, produtos industrializados cheios de corantes e conservantes).

5.5 alterações imunológias (nosso sistema imune vive estressado tentando nos livrar de tanto lixo metabólico) e

5.6 interação corpo-mente. Está mais que provador que pessoas que tem algum tipo de religião e freqüentam algum culto uma vez por semana, têm maior longevidade.

 

Jornal da Mooca - Comente, por favor, sobre a experiência em ser a Nutricionista do Papa Bento XVI,quando ele esteve no Brasil?

Dra. Gisela Savioli - Foi uma experiência incrível, pois cuidei de toda implantação da Unidade de Alimentação e Nutrição, assim como instalação e parte de alimentação. Sua Santidade deu um show de resistência e sabe por que? Ele anda diariamente uma hora por dia nos jardins do Vaticano e se o tempo não está adequado ele caminha dentro do palácio. E SOZINHO. Sua alimentação é super simples, frugal, não bebe e come com moderação. Adora um suco de laranja, não come nenhum tipo de fungo (queijos) nem frutos do mar.

 

Jornal da Mooca - Por que o leite da vaca faz mal?Qual seria o alimento para substituí-lo?

Dra. Gisela Savioli - Vou devolver a pergunta: qual o único mamífero na natureza que continua mamando após ter dentes e LEITE DE OUTRA ESPÉCIE. O homem! Nõs não temos uma enzima para digerir a proteína do leite chamada betalactoglobulina.

Além disso seu uso diário e sistemático aumentou o risco de câncer de próstata em 42 países. (Quem desejar os trabalhos científicos comprovando tudo que falo é só me mandar um email – endereço abaixo – que terei o maior prazer em enviá-los. No Japão a mortalidade por câncer de próstata era baixa em relação aos países ocidentais, aumentando significativamente após a Segunda Guerra Mundial, com a ocidentalização da dieta japonesa, quando o leite e derivados foram os itens alimentares que mais aumentaram em relação aos demais. Ficou estabelecido que o leite e derivados são fatores de risco para o câncer de próstata em 11 pesquisas publicadas entre 1984 e 2003”. Também são fatores de risco para outros tipos de câncer, principalmente o câncer de mama”  como mostra um trabalho realizado na Universidade de Harvard em 2006..

As explicações disponíveis para estes fatos são as seguintes: (11)

1) As gorduras saturadas do leite e derivados são excessivas e promovem o aparecimento do câncer. O tempo de promoção é longo, podendo passar 20 ou mais anos até surgir o câncer se não for interrompido o uso de leite e seus derivados (11).

2) A deficiência em fibras da alimentação, pelo uso sistemático de cereais e farinhas de cereais refinados, facilita a absorção destas gorduras.
3) As proteínas animais do leite e derivados e das carnes estimulam a síntese do I.G.F.1 (insulin like growth factor-l), fator de crescimento do câncer.
4) O alto teor em cálcio do leite e derivados suprime a conversão da 25 (OH) vitamina D para 1,25 (OH)2 vitamina D. Esta última tem efeito protetor contra o câncer de próstata e mama .

5) O leite contém hormônios femininos. Os níveis circulatórios de hormônios femininos aumentam com o consumo de leite. O 17-B estradiol do leite é cancerígeno para a próstata e mama.

6) O leite e derivados contêm altos níveis de I.G.F.-1, para o crescimento do bezerro. Quanto mais leite e derivados consumimos, maiores os nossos níveis sanguíneos de I.G.F.-1. O I.G.F.-1 é fator de risco para câncer de próstata e mama em seres humanos. Quanto mais elevados os níveis sanguíneos de I.G.F.-1, maior o risco de câncer.

7) O alto nível de estrógenos e I.G.F.-1 do leite desnatado promovem o aparecimento de câncer de mama em ratos. Portanto, além das gorduras saturadas existem outros fatores promotores do câncer no leite e derivados.

O leite e seus derivados vêm sendo pesquisados como fatores de risco para o câncer desde 1980, havendo 47 publicações que demonstram esta relação

Sem dúvida o leite e seus derivados são alimentos nutritivos, tanto podemos observar que o bezerro, com 60kg ao nascer, pesa cerca de 500kg aos sete meses, tendo o leite como único alimento. Após esta idade, com dentição completa, este animal não mais irá ingerir leite.

Comparativamente o ser humano tem aproximadamente 3kg. ao nascer e 9kg. aos sete meses. O leite de vaca não tem composição projetada geneticamente para o nosso organismo.

Quando minhas pacientes param de ingerir leite seus níveis de massa óssea melhoram consideravelmente. Uma dica é tomar todas as manhã suco de couve crua batida com maçã. Têm um cálcio totalmente absorvido.

 

Jornal da Mooca - Quais alimentos que nunca devemos ingerir e quais estão liberados?

Dra. Gisela Savioli - Principalmente leite e seus derivados (pois não temos enzima para digeri-los, e também devemos ter muito cuidado com a soja. Tenho encontrado muita alergia com ela. Para vermos como deveríamos consumir a soja basta olhar para os orientais. Eles a consomem coagulada (tofu) ou fermentada (shoyo), pois sabem que a proteína da soja é dificílima digestão e precisa ter uma hidrolização (quebra) antes de ser consumida.

 

Jornal da Mooca -Qual é o papel do nosso intestino no processo de digestão?

Dra. Gisela Savioli - Nosso intestino hoje é considerado nosso segundo cérebro! Vinte por cento das células intestinais são células do nosso sistema imune! Cinqüenta a setenta e cinco por cento da sinalização que inicia o recrutamento do nosso sistema de defesa parte do intestino. Ele produz os mesmos neurotransmissores que nosso cérebro! Dele depende toda nossa saúde!

 

Jornal da Mooca - Fale, por favor, sobre o Programa de Rádio “Mais Saúde” que você faz na Rádio América, a que público se destina, a importância dos temas abordados?

Dra. Gisela Savioli - É um trabalho voluntário que faço há mais de 2 anos na Rádio América (AM 1410) todas às terças, quartas e sextas-feiras, das 16h00 às 17h00 – AO VIVO. Esse programa tem por objetivo passar para a população mais carente, principalmente classes D e E, informações de saúde, nutrição e utilidade pública. Aproveito para convidar todos a ouvi-lo e participar ao vivo através do telefone: 5575.1000.

 

Jornal da Mooca - Fale um pouco sobre sua trajetória profissional?

Dra. Gisela Savioli - Nutrição é minha segunda carreira. Quem quiser conhecer um pouco da minha vida e da minha trajetória, principalmente espiritual, dentro da Igreja Católica, poderá comprar o livro A FILHA DA FÉ, das Edições Loyola, a venda em todas as livrarias.

 

Jornal da Mooca - Você se especializou também em Nutrição para Mulheres no Climatério. Qual é o principal pecado que as mulheres que estão passando por este período comentem em relação a alimentação?

Dra. Gisela Savioli - O leite!

 

Jornal da Mooca - Como os leitores podem entrar em contato para uma consulta?

Dra. Gisela Savioli - Meu email está a adisposição: gioli@uol.com.br .