Português Italian English Spanish

Covas prorroga quarentena e comércio na cidade só abre depois de 15 de Junho

Covas prorroga quarentena e comércio na cidade só abre depois de 15 de Junho

Data de Publicação: 30 de maio de 2020 17:24:00
A decisão deixa frustrados comerciantes que esperavam abertura para aproveitar as vendas do Dia dos Namorados, em 12 de junho

O prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), prorrogou a quarentena na cidade de São Paulo até 15 de junho e, até lá, continua proibida a abertura para o público de atividades não essenciais —como shoppings, galerias, comércio e serviços. O decreto foi publicado na edição de hoje do Diário Oficial. A decisão contraria a expectativa por parte do comércio, que esperava estar aberta para aproveitar as vendas do Dia dos Namorados, em 12 de junho

O governo paulista liberou a operação dessas atividades, mas as regras para que isso aconteça devem ser definidas pelos municípios. Na capital paulista, os setores que quiserem reabrir precisarão apresentar uma proposta à prefeitura detalhando as medidas preventivas que serão tomadas para atender ao público, como regras de distanciamento, higiene, etc

Há algumas restrições definidas pela prefeitura, como capacidade limitada a 20%, horário reduzido a 4 horas seguidas e sem praças de alimentação. "A partir de segunda-feira (1º), começamos a receber as propostas setoriais de atividades imobiliária, escritórios, comércio, shoppings e concessionárias de veículos. Elas devem atender o disposto no decreto, que terão de ser referendadas pela vigilância sanitária do município e assinadas antes da retomada das atividades", disse Bruno Covas, segundo nota enviada pela prefeitura

Abertura em fases Com a capital paulista classificada com a cor laranja pelo governo estadual, podem pleitear a reabertura as atividades de: Shopping centers, galerias e estabelecimentos semelhantes; Comércios; Serviços Se a cidade passar para a classificação amarela, entram nesta lista também.

academias de esporte Somente na classificação azul será estudada a retomada de atividades que geram aglomerações, como cinemas, teatros e jogos esportivos. Construção civil pode funcionar, se respeitar os protocolos adequados. E educação e transporte precisam de normas que ainda serão editadas. Passo a passo para a reabertura As entidades dos setores deverão apresentar à Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico uma proposta contendo protocolos de distanciamento, higiene, orientação a clientes e colaboradores, escala de trabalho, protocolo de fiscalização, entre outros pontos. A proposta será avaliada pela Covisa (Coordenadoria de Vigilância em Saúde). Caso ela seja aprovada passará pela Casa Civil da Prefeitura, que irá elaborar um termo de compromisso com as entidades do setor analisado. Só depois de "publicado o termo de compromisso, os estabelecimentos relativos ao respectivo setor poderão retomar o atendimento presencial ao público, devendo cumprir com todas as exigências nele fixadas". As subprefeituras serão responsáveis pela fiscalização.

  Seja o primeiro a comentar!

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Envie seu comentário preenchendo os campos abaixo

Nome
E-mail
Localização
Comentário